quarta-feira, 24 de janeiro de 2018

Somente por hoje não me zangarei

Você já parou para pensar quantas vezes por semana você se zanga com algo?
E o que você tem ganho com isto?
Ficar zangado ou aborrecido só atinge a você mesmo.

A situação pela qual você se aborreceu ou a pessoa que fez com que você ficasse assim não irá sentir nada, mas você com certeza terá, pelo menos, desconforto no estômago.
No ensinamento do Reiki, um dos cinco princípios é este: “somente por hoje, não me zangarei”.
Se você praticar isto diariamente durante 21 dias, com certeza aprenderá a não se zangar por qualquer coisa. No mínimo passará a ter mais tranquilidade para encarar determinados desafios.
Quando aprendemos a refletir antes de agir instintivamente, aprendemos a controlar nossos impulsos primários. Diversas situações que antes nos colocariam em risco de agir de forma primitiva, acabam perdendo a força e não aparecem mais.
A raiva pode ser utilizada como um impulso para o crescimento, para a evolução, ao contrário do que muitas pessoas fazem colocando-se cada vez mais para baixo. Costumo me referir à raiva como uma energia e sempre afirmo que devemos utilizá-la a nosso favor, aprendendo com ela. Podemos escolher não deixar mais com que a situação que a causou se repita, então aprendemos com ela.
Se em toda situação que aparecer para lhe causar a raiva, você respirar profundamente e procurar entender o que ela está tentando lhe mostrar, então entenderá que não existe raiva e sim oportunidade de evolução.

Medite nas afirmações “somente por hoje não me zangarei ou somente por hoje estarei em paz” e perceba quanta força isto lhe traz. Esta é sua verdade. Você não precisa se zangar ou ficar com raiva diante de algo que veio para lhe impulsionar ao crescimento.
Pronto!
Acabou de aprender a modular sua energia.
Lembre-se: o recalque sempre se expressa em irritação ou raiva. Ao senti-la, pare! Aproprie-se da situação e entenda como poderá utilizar esta energia para crescer e evoluir, aprendendo com ela.


sexta-feira, 19 de janeiro de 2018

Sentimento de rejeição: como lidar com isto.

Há pessoas que vieram ao mundo para lidar com a sensação de rejeição.
Sim, eu disse lidar, enfrentar, encarar...
Diariamente recebo em minha sala de terapias alguém se queixando que frequentemente é rejeitada(o) ou que o relacionamento terminou porque começou a perceber que seu par passou a rejeitá-la(o).
            Existem pessoas que vieram, realmente, para lidar com a sensação de rejeição, e isto faz parte de sua evolução espiritual e pessoal. Nas mais diversas áreas de atuação de uma vida podemos perceber a sensação de rejeição: no trabalho, na família, nos relacionamentos, na sociedade,  etc.. E isto pode começar bem cedo na vida de uma pessoa, ainda na infância.
Culpa dos pais?
Não! Com certeza é uma proposta reencarnatória.
Muitos de nós não conseguiram conviver em grupos ou até mesmo com a sociedade, em outras vidas, por questões diversas. Sem contar aqueles que passaram uma vida inteira se colocando em clausura, retiros intermináveis ou ainda fugindo das pessoas para não serem queimados em fogueiras. Mesmo depois de chegar ao mundo espiritual praticou o costume de se isolar e isto podemos observar nas regressões de vidas passadas.
Costumo contar, para meus clientes, que antes de reencarnarmos tivemos nosso momento de psicoterapia com nosso mentor e lá fomos chamados a atenção daquilo que não conseguimos melhorar e também daquilo que adquirimos através de nossas atitudes impulsivas ou impensadas. Foi neste momento que compreendemos a necessidade de retornar e buscar melhorar ou reparar estas situações.

Aqueles que lidam com a sensação de rejeição devem buscar a perceber se na verdade não são eles mesmos que se isolam, ou que rejeitam as pessoas que ele pensa que os rejeita. Sim, muitas vezes pensamos que fulano ou cicrano não nos aceita e então, sem o conhecer, acabamos não permitindo conviver com ele. Passam alguns meses ou anos para descobrirmos que nunca se passou pela cabeça de tal indivíduo a ideia da rejeição e que além de tudo é uma ótima pessoa para se conviver.
Em outros casos a própria pessoa se rejeita, pelo fato de não aceitar alguma característica pessoal e passam a se isolar. Porém, a leitura que faz é de que são as pessoas que a rejeitam.
Mas existem também os que pelo fato de terem uma mediunidade e não saberem lidar com ela ou não aceitá-la, isolam-se por entender que assim como ela mesma não compreende, os outros também não compreenderão.
Entendemos que estas sensações são intensificadas ou identificadas a partir de alguma situação que a dispara na vida atual. Por exemplo, uma situação na qual a pessoa precisou, pela primeira vez em sua vida, vivenciar uma rejeição e a partir de então passou a se sentir rejeitada pelos outros. Na terapia de vidas passadas entendemos que neste momento a pessoa sintonizou-se a alguma situação vivenciada em outra vida, conforme sugerimos anteriormente.
Dada a situação e a sintonização, a pessoa passa a lidar com acontecimentos que despertam a sensação de rejeição. Ou seja, se sente rejeitado.
Conforme citei no início do texto, há pessoas que vieram para lidar com a sensação e não para serem rejeitadas. Porém, pelo simples fato de antecipar a ideia de que poderá ser rejeitada, acabam se isolando.
Podemos citar também aquelas pessoas que sufocam os outros com seus sentimentos de saudade, apego, servidão, etc... São pessoas carentes e intensas que tentam adivinhar o que os outros estão pensando e assim trazem o café antes mesmo da pessoa pedir. Intensas porque quando sentem saudade ou quando gostam de alguém, demonstram isto com total franqueza e grude. Sufocam sem se dar conta, com seus abraços e exageros de servidão.
Nem todos são afetivos, muitos preferem pouco toque e a liberdade de iniciativa própria. Logo, fugirão do carente que passará a se sentir rejeitado, sem compreender que ele mesmo faz com que as pessoas tenham esta atitude. Passam então a lidar com a sensação de rejeição.

Três dicas importantes:
·         É rejeitado aquele que se rejeita primeiro.
·         Busque conviver com aqueles que não despertam em você a sensação de rejeição, eles são a maioria.
·         Perceba o quanto você está sendo intenso com os outros e modere isto.

Se você compreende que vivencia a sensação de rejeição em sua vida, entenda que não é para se excluir e muito menos para se rejeitar, mas sim para vencer esta característica. Ao entender que alguém o rejeita, procure se aproximar, conversar e desfazer esta ideia, ao contrário: vooooollllltaremos!!
Há pessoas que descobriram na música uma forma de aproximação da sociedade e de não sentirem a rejeição, outras encontraram esta força na dança, assim como muitos experimentaram a pintura, a poesia e tantas outras profissões.
Descubra-se!
É fácil, não é difícil.
Pode ser desafiador, mas esta é a graça de poder sair de um ângulo para outro. Sair de uma frequência para outra.


quinta-feira, 28 de dezembro de 2017

Que venha 2018 com toda sua força e coragem!

Este ano promete sim. O ser humano ainda precisa de umas sacudidelas para evoluir e se tornar melhor. Vamos entender um pouco sobre o novo ano, analisando os números e o tarô terapêutico.
Ao somarmos 2+0+1+8 chegaremos ao 11, que na numerologia é chamado de Número Mestre. No tarô o 11 é a carta da Força, ou seja, quem tem força certamente terá sucesso. Mas esta força não é apenas a força física. 1+1=2 que representa a lâmina da Papisa, ou seja, intuição, introspecção para encontrar o caminho. Logo, podemos entender que a força virá deste autoconhecimento. Quando me encontro. Quando estou comigo, sou forte. Então, preciso me conhecer, identificar minhas qualidades e também os pontos fracos para que eu saiba lidar com todas as situações que surgirem.

Não significa que quem não buscar seu autoconhecimento não conseguirá nada. A ideia de interiorização seria o plantar e depois a força para colher. Quem não se adaptar a este processo, não estará plantando então não terá muito a colher.
O autoconhecimento através de leitura, estudo, cursos e desenvolvimento intelectual deve ser o carro chefe para aqueles que querem garantir o sucesso em 2018.
Sempre falo que as pessoas devem envolver-se com sua evolução pessoal e espiritual e não só com o desenvolvimento material. Chega uma hora que tudo está vazio, pois o material não completa determinadas áreas emocionais do ser humano. Neste ano de 2018 isto será cobrado de uma forma mais rígida, principalmente daqueles que iniciaram e não seguiram.
Pessoas que estão utilizando o conhecimento espiritual para manipular serão cobradas rigidamente e algumas poderão ter problemas mentais. A carta da Força remete aos problemas na cabeça, derrames, Alzheimer, etc.
Um dos grandes segredos para viver plenamente o 2018 é não se permitir ao isolamento. Busque companhias motivadoras. Pessoas que podem fazer a diferença em sua vida. Quando sentir tendência a desânimo, tristeza, use o floral Mimulus da linha de Bach. Busque terapia, dança, música, algum grupo de artes. E principalmente, procure identificar o que lhe faz querer ficar isolado. Pode ser sintonias de outras vidas, pode ser tendência comportamental mesmo, uma vez que os Índigos e Cristais, por exemplo, geralmente não se identificam neste mundo, então preferem o isolamento. Logo, compreendemos que nem tudo é doença, não precisa sair procurando remédios achando que está com depressão. É importante saber lidar com esta característica e buscar a se inserir no contexto de sua vida.
Força é sinônimo de coragem. A Papisa está envolta no tecido vermelho. O vermelho é a cor que dá a coragem tanto para lutar, quanto para se autoconhecer. Porém, o excesso desta cor remete a agressividade. Use-a na virada do ano, use-a nos momentos que precisa de energia ativa para avançar. Use-a para realçar sua determinação. Esta é a cor do Chákra Raiz, o chákra das conquistas materiais e de todas as coisas que são criadas pelo homem na terra.
Vista-se desta coragem e entre no novo ano com determinação, plantando coisas boas, coisas belas, para que possa colher o mesmo. O lugar onde você está é o resultado de onde tem se colocado até hoje. Então medite! Recolha-se e depois saia do casulo voando, com asas brilhantes, coloridas e fortes para te carregar por onde precisar.
Muito obrigado pela sua companhia neste ano de 2017 e que possamos seguir nossa parceria em 2018.

Tenho um belo e maravilhoso ano!

quinta-feira, 21 de dezembro de 2017

Tempo de mudar sua frequência

Natal é tempo de rever tudo aquilo que não deu certo no ano que está acabando, tudo aquilo que, de certa forma, falhou no comportamento, nas relações, nos negócios, nos cuidados com a saúde, etc. Revemos agora e nos preparamos para iniciar um novo ano com propostas diferentes. E não adianta dizer: “Vou tentar ser melhor”, porque quem tenta não faz!
Já que estamos tendo oportunidade de iniciar um novo período em nossa vida, que seja para melhor. Que seja para ter mais ação a seu favor, que seja para ter mais consciência da sua vida, da sua espiritualidade e de seu propósito aqui neste mundo.
Na verdade, você pode começar a comemorar o natal a partir do dia de seu aniversário, pois lá foi dado o pontapé inicial para sua evolução. A palavra Natal significa o momento do nascimento de alguém. Então no dia de seu aniversário você comemora o seu natal e neste dia haverá a manifestação de todos aqueles que te amam e que confiam na tua capacidade de vencer, de viver e de evoluir.
Segundo estudos, a data de 25 de dezembro não é a data real do nascimento de Jesus, porém, a igreja entendeu que devia cristianizar as festividades pagãs que os vários povos celebravam por altura do solstício de inverno. O dia 25 de dezembro foi adotado para que a data coincidisse com a festividade romana dedicada ao “nascimento do deus sol invencível”, que comemorava o solstício do inverno. No mundo romano, a Saturnália, festividade em honra ao deus Saturno, era comemorada de 17 a 22 de dezembro, com muita alegria e troca de presentes. A celebração do Natal de Jesus foi instituída oficialmente pelo Papa Libério, no ano 354 d.C.

Enfim, nós temos nos dias 24 e 25 de dezembro uma data de concentração de energias, pois todas as pessoas em vários lugares do mundo costumam desejar coisas positivas neste dia. Logo, a importância de você não ficar de fora disso tudo.
Se conecte nesta sintonia e canalize sua vibração positiva, desejando a melhora do mundo, a cura do planeta e de todos os seres que nele estão vivendo. Mesmo não tendo indícios da certeza do nascimento de Jesus nesta data, permita que ele possa realmente nascer em seu coração, em seu pensamento e em seu lar. Jesus é uma âncora poderosa de amor divino e certamente em sua permanência aqui na terra, trouxe muitas curas para a humanidade. Não falo somente das doenças e dos doentes que ele curou, mas pelo fato dos ensinamentos, das palavras e dos gestos de carinho e paciência que ele ensinou ao mundo.
Aproveite este período de canalização positiva que é instaurado no planeta e provoque a mudança em sua vida. Deseje coisas boas para você, para aqueles que ama e também para aqueles que não conhece direito, porque tudo aquilo que você emite retorna para sua vida.
Não é período para ficar triste, deprimido ou desanimado. Se costuma ficar assim, saiba que pode mudar isto, pois é um estado e estado nós podemos mudar. Estar triste, estar desanimado... isto acontece porque você permite. É você que permite “estar assim ou assado”. Então vigie as permissões que você dá e passe a vibrar mais alto. Passe a vibrar poderosamente positivo, pois certamente é isto que a vida espera de você.
Este é o verdadeiro sentido do Natal: permitir-se mudar a frequência e passar a vibrar positivamente. E nós temos, além do dia de nosso nascimento, o dia 25 de dezembro de todos os anos para dar mais um passo evolutivo. Vibrar mais alto e mais positivo.

Feliz Natal e que o ano de 2018 seja de muita positividade e muitas curas em sua vida e no planeta!

quarta-feira, 11 de outubro de 2017

Crianças Índigo: a evolução humana na terra


Faça sua inscrição aqui no blog. 

Regras:

- As vagas são limitadas, ao encerrar as vagas não serão geradas mais inscrições;
- No dia da palestra leve com você o comprovante da aquisição e pagamento gerados aqui no botão do PagSeguro;

sexta-feira, 29 de setembro de 2017

Meu filho é médium, e agora?

         É importante entender o que é mediunidade, antes de se desesperar diante da possibilidade de ser ou ter um médium por perto.
Na realidade, todos somos médiuns, este é um dos preceitos para que estejamos neste plano material. Porém, algumas pessoas possuem uma sensibilidade um pouco mais aflorada. Ou seja, conseguem perceber coisas que outros não conseguem, como: presenças energéticas, o clima vibracional de um ambiente, a energia (alta ou baixa) de outra pessoa, aromas que não existem no ambiente, percepção de vultos, antecipação de determinados acontecimentos, sonhos reveladores, etc..
São muitas as situações que um médium pode acessar. Alguns possuem a capacidade de curar através de um toque, de uma prece ou até mesmo pela sua própria presença junto da pessoa ou ambiente que esteja doente.

Ser médium não é um problema, mas propõe algumas responsabilidades. Naturalmente acabam evitando lugares com excesso de multidão, buscam conhecimento em assuntos exotéricos, místicos ou de cura. Após obter consciência de sua mediunidade, o médium deve adotar um comportamento mais tranquilo, evitando uso de substâncias que possam agredir seu corpo e sua mente.
Algumas pessoas percebem suas capacidades mediúnicas e acabam tentando fugir desta situação, até mesmo por falta de conhecimento do assunto. É comum identificarmos jovens adolescentes tomados pela ansiedade ou demasiadamente tristes, sem aparente motivo. Saiba que isto pode estar ocorrendo em função de não estar cuidando de sua espiritualidade ou de sua mediunidade.
Existem muitos médiuns sendo medicados com Ritalina ou até mesmo dopados, pelo simples fato de não entenderem o que ocorre consigo e pela falta de esclarecimentos sobre este assunto por parte dos médicos aos quais recorrem. A mesma coisa acontece com as crianças índigo que são confundidos com hiperativos e acabam sendo castrados de suas capacidades e forma de ser.
Existe um livro maravilhoso chamado “Doutor ouço vozes” do médico e psicoterapeuta reencarnacionista Mauro Kwitko, no qual ele aprofunda o assunto da mediunidade, e também o livro Crianças Índigo – a evolução do ser humano, da escritora e psicóloga Ingrid Cañete.
Não necessariamente médium seja aquele que fala com os mortos, esta é uma das capacidades dos mais diversos tipos de mediunidade. Há os que escutam, assim como há os que visualizam e isto é natural para quem possui esta capacidade. O médium não tem medo de seus dons, a partir do momento que os compreende, respeita e aprende a controlar-se.  
Existem médiuns com capacidades especiais para pintura, música, fala, escrita, aconselhamento e tantos outros recursos que podem ser utilizados para auxiliar as pessoas.
Alguns pais ficam apavorados ao perceberem que seu filho é “diferente” e saem em desespero atrás de um diagnóstico. Acabam se perdendo em tantas informações que chegam aos seus ouvidos e na maioria das vezes, todas elas confusas ou até mesmo enganosas. Tudo porque acham que tem que ter um diagnóstico.
Se seu filho é diferente vamos entender que diferença é esta, porque pessoas diferentes sempre existiram neste planeta e graças à estas diferenças é que o progresso aconteceu e ainda acontece. Se não tivesse ninguém diferente, como é que seria? Tente imaginar.
Ter um médium em casa não quer dizer que esta família seja especial. A principal obrigação desta família é de rever seus hábitos, seus conceitos, suas atitudes, como se comunicam, como são como pais, como convivem. Ou seja, rever a si próprio. Que reforma precisam fazer em si mesmos? Que transformações precisam realizar em suas vidas? Porque os médiuns assim como as crianças índigo que citei anteriormente, são agentes de transformação.
É importante a busca do conhecimento deste tema através de leituras e palestras ofertadas por instituições sérias.
Pelo fato de ser um médium não quer dizer que tenha que fazer parte de uma religião, porém é importante que em algum momento haja prática dos seus dons para que isto não fique estagnado. Hoje em dia há muitos médiuns atuando de forma independente e amparados por pessoas que foram beneficiadas por eles.
De forma alguma o médium deve se sentir superior aos outros ou passar a exibir seus dons com intuito de obter o controle das pessoas ao seu redor. Ocorrendo isto poderão entrar no modo reverso, atraindo outros tipos de energias e trazendo problemas para si e para aqueles que colaborarem nesta situação.
A proposta deste artigo é trazer algumas possibilidades para que possa buscar o aprofundamento e esclarecimento deste assunto. Levantando suposições para que você possa realmente analisar o que acontece em sua vida, e então orientar-se.
Ser médium não significa que seja especial ou superior aos outros, pois é um desafio muito grande ter que controlar o ego afim de não trazer situações conflitantes para sua vida.

A mediunidade deve ser utilizada para auxiliar as pessoas em sua evolução, sem interferir em seu livre arbítrio. 

domingo, 24 de setembro de 2017

Somente por hoje, não se preocupe

                 Este é o terceiro dos cinco princípios japoneses que são ensinados durante a iniciação do Reiki.
Hoje em dia, não se preocupar é difícil, mas viver preocupado se torna mais complicado ainda. A palavra preocupação possui o prefixo “pré” que significa antes: “me ocupo antes”.
A ansiedade de querer apurar as coisas, ou adivinhar o que tem por acontecer nos faz perder muita energia. Pessoas ansiosas vivem preocupadas com o futuro e perdem de viver o presente. Pessoas com medo vivem preocupadas com o que os outros irão pensar... e perdem de realizar no presente.
A preocupação desgasta o mental, o emocional e obviamente o físico, pois nos fragiliza e permite que experimentemos diversas sensações desconfortáveis.

Porque se preocupar com o modo como os outros destinam sua vida? Porque se preocupar com o que poderá acontecer se...?
Calma o mundo não é projeto seu, então deixe as pessoas viverem suas vidas da maneira como elas querem. Se algo que eles fazem te atinge é porque você permite, pois vive conectado lá e não aqui na sua própria vida.
O que você fez hoje para que seu amanhã seja melhor?
A criança nasce feliz porque não traz preocupações consigo, porém quando vai se tornando adulto perde a felicidade porque acaba adquirindo a preocupação.
A preocupação com a imagem que vendemos de nós mesmos, e do que os ouros irão pensar de mim se..., vem de nosso ego. O ego é passageiro, porém faz um estrago quando é alimentado, pois nos empobrece, nos torna pequenos e limitados diante de tanta luminosidade que podemos ter. O ego odeia duas coisas: ser contrariado e ser criticado. Um ego superdesenvolvido é sempre candidato a um grande sofrimento e isto dói mais que a dor física. Há pessoas que morrem pelo ego, sofrem pelo ego, lutam pelo ego e depois reclamam que não são felizes.
Nada é permanente, exceto as mudanças, as transformações. A vida nos dá muitas oportunidades para transcender o ego, diminuindo a preocupação com nossa imagem. Nós somos o que acreditamos ser, afinal todo pensamento é energia e alimento. O pensamento cria, nos recria e é capaz de materializar tudo ao nosso redor.
Se preocupar é sofrer em vão, pois não sabemos se o problema virá ou não. Se vier teremos todas as ferramentas necessárias para reparar, auxiliar, enfim, fazer o que for preciso. Minha avó já dizia: “se não tem solução, solucionado está”!

Não sobrecarregue seu dia com preocupações desnecessárias, selecione seus pensamentos e viva de forma mais relaxada, pois o universo nunca falha.
Há um pensamento inteligente que diz: “O tolo deseja saber tudo sobre o futuro, o sábio deseja apenas saber como ser feliz hoje para continuar a ser feliz amanhã. O tolo se preocupa, o inteligente se ocupa, o sábio apenas sorri”.

Então somente por hoje não se preocupe!